sexta-feira, 8 de abril de 2011

Ela e o fera.

Ele me parecia meio cru, tinha umas falas estranhas e um sentimento quase infantil, mas ele queria ser o ator principal e fazer papel ao lado dela. E conseguiu, estava disposto e com bastante vontade de ali fazer sua historia.
Essa historia começou intensa de mais, um erro!
Deverá ele ter perdido o foco? Não!
Ele estava fazendo um grande papel, parecia ter anos de profissão.
Ele a fez se sentir amada, ela o amou enquanto ele apenas atuava.
Ele se atrapalhou e a fez enxergar o que ela não imaginava ver.
Será o amor o sentimento mais cruel do mundo?
(...) A trama então ficou meio conturbada e sem fim acabou.

Foi tudo um teatro.


Apenas uma brincadeira, nada foi real.



“Brincando, brincando vão se dizendo as verdades.”





Loyanne Freire

Nenhum comentário:

Postar um comentário