terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

“O apego não quer ir embora, DIAXO ele tem que querer”

Aqui estou eu, sozinha e pensando em como vou agir racionalmente. É engraçado tudo que está acontecendo, às vezes eu consigo me conter e simplesmente agir de uma forma que me proteja de qualquer fato que possa me prejudicar ou me machucar futuramente, mas em contra partida, tem horas que nada me faz melhor do que está do seu lado, mesmo na condição que estou.
Estranho como cada palavra sua muda e altera tudo, uma noite dessas quando estávamos juntos, sendo só eu e você e mais nada e mais ninguém, enfim, conversávamos sobre sentimentos e sobre relacionamento, e você com o seu jeito de homem que não quer se envolver disse não gostar, disse que pra esse lado você não teria sentimentos, o engraçado é q eu não acho isso (posso está enganada), mas acho que o que você tem é medo, medo de sentir e assumir o que você sente, porque tem medo, não de amar, mas de sofrer como você sofreu por causa desse sentimento na qual nos permitimos sentir.
Eu me apeguei (pega mais não se apega) isso não existe, não pra mim. Acabei me apegando e apegando até demais, e agora como que faz pra desapegar???
Não faz, espera que o tempo é o melhor remédio pra isso, não é o que todos dizem?
Hoje (só por hoje) eu conseguir ficar sem você, e a cada dia que passar vou me afastar mais, mas o meu maior medo, não é me distanciar de você, é saber que com a minha distancia você não sentiu a minha falta, isso me doeria muito mais.

”Você não está com medo de dar uma segunda chance, você só está com medo de se machucar pela mesma razão.” #fato

Nenhum comentário:

Postar um comentário